ACONTECE NA PROJETO | CRÔNICAS SEMPRE ALUNOS
AMANDA GIACOMETTI PEDROSA

Amanda Giacometti Pedrosa, estudou a maior parte de sua vida na Projeto Vida. Talvez por isso ainda considere a Escola como sua "casa" e os professores e funcionários sua "família". A fala afetiva de Amanda mobiliza, envolve pelo que torna quase tangível esse amor que sente por tudo que se relaciona a Projeto. Nota-se em sua voz, em suas expressões, nas suas histórias e memórias, a profunda ligação que tem com a Escola – que leva dentro do coração e da alma.

A proximidade que Amanda cultiva com a Projeto extrapola o campo afetivo, uma vez que ela mora muito próximo a unidade do Fundamental. As visitas à Escola acontecem sempre que "dá aquela saudade". Foram 14 anos de convívio intenso em um ecossistema onde ela sempre se sentiu respeitada e motivada. Todas as atividades que Amanda se dedica nos dias de hoje foram estimuladas pela Escola, e não são poucas: ela adora ler, de romances policiais à literatura fantástica; se dedica à música, toca violão, guitarra e piano, cria canções, canta e está preparando um CD; escreve textos e ainda estuda para o vestibular para a faculdade de medicina.

Foi na Projeto que nasceu o interesse de Amanda pela medicina: "desde o Fundamental 1 a gente tinha aula de anatomia e aí eu fazia questão de decorar todos os órgãos e os ossos o corpo. Os professores transmitiam o conhecimento de uma forma muito legal porque tínhamos que fazer maquetes e desenhos. Eu assimilava isso de uma maneira diferente, porque não era só estudar, escrever e grifar, era muito mais do que isso era visual, era sensorial. Em 2015 seus planos para entrar em uma universidade foram interrompidos pela morte do seu pai. Ela deu um tempo. Precisou cuidar de si própria, para então retomar os planos de ser médica. Das cicatrizes que surgiram com a perda floresceram canções e letras que serão gravadas em um CD.

No Ensino Médio ela viveu os dilemas típicos enfrentados por uma adolescente com senso crítico. Amanda passou a questionar o modo como as pessoas agiam fora da escola. Essa postura é resultado da educação cognitiva que recebeu e que se entende pela construção do conhecimento, do pensamento crítico e reflexivo. Amanda conta que seus amigos do Ensino Médio ficavam surpresos quando ela contava sobre suas experiências no Fundamental e sobre o afeto que tinha com amigos, professores e funcionários.

Ela fala com entusiasmo sobre alguns dos valores e lições que foram aprendidos: "Na Projeto a gente aprendeu sobre a igualdade, sobre a consciência de classe, de gênero, até mesmo sobre orientação sexual. Fomos educados sabendo que homens e mulheres são iguais, que a orientação sexual – tanto faz, assim como a classe social, não importa se você tem mais dinheiro ou menos dinheiro, todos são iguais. Também foi tocada pela interpretação teatral, como conta: "O teatro fez eu me descobrir em muitos aspectos. Me fez perceber que eu podia ser muito mais do que aquilo que eu achava que eu era. “Venci vários desafios, que hoje em dia até podem parecer um pouco bobos, mas na época eram grandes desafios.”

Amanda acredita que "por onde as pessoas da Projeto passam elas mudam um pouquinho o mundo". A Projeto Vida foi e ainda é um mundo especial para Amanda. A Escola emoldurou a sua infância e adolescência. Ela é a guardiã desse mundo e o acessa sempre que quer, através de suas memórias, das habilidades que adquiriu e a partir das relações que teve – e ainda tem, com os professores e amigos. A Projeto para Amanda são diversos mundos possíveis, todos eles coloridos.