ACONTECE NA PROJETO | CRÔNICAS SEMPRE ALUNOS
MARCELLA JYO

Não foi fácil conseguir um tempinho com Marcella. Como os demais Sempre Alunos, está a pleno vapor na vida pessoal e profissional, num momento de muitas mudanças e adaptações e seu tempo é escasso. Não é pra menos. Abraçar o mundo, como ela quer, não é simples – mas ela é persistente. Embora confesse uma certa preguiça para “fazer um social” não mede esforços para se desenvolver profissionalmente. Atualmente, trabalha com design gráfico – área na qual tem uma dupla (e excelente) formação - em Design pela FAU-USP e em Comunicação Visual pelo Centro Universitário Senac. Recentemente foi convidada para ser sócia do estúdio de design gráfico Serifaria e, além disso, é bolsista CNPq de apoio técnico a uma pesquisa na FAU-USP -  na parte de desenvolvimento de um novo site para a divulgação dos dados sobre a prática de impressão com tipos móveis na cidade de São Paulo durante o século XIX. Marcella acredita que a Projeto “por ser uma escola que não focava somente na formação acadêmica dos alunos e que estimulava bastante outros tipos de aprendizados, como artes, música, teatro, culinária, etc, acabou permitindo que eu fosse para uma área mais criativa”.

Considera-se tímida mas garante que era ainda mais. “Com as aulas de teatro (além de apresentações de trabalho em sala de aula e tal) fui aprendendo a me expressar um pouco melhor e a me sentir um pouco mais tranquila para conversar e expor ideias etc. Sinto que o teatro teve uma grande parcela na melhoria da minha comunicação com os outros. ” Como não podia deixar de ser, a encenação de “Um Violinista no Telhado” é um de seus momentos inesquecíveis dos dez anos em que esteve na escola.

Embora sua vida seja corrida, preocupa-se com seus amigos e familiares e valoriza o convívio com eles.  Atribui à escola contribuições também no seu jeito de ser e na sua forma de se relacionar. “ Além de ter me dado a oportunidade de aprender com excelentes professores e outros profissionais, a Projeto sempre se esforçou para proporcionar aos seus alunos um ambiente acolhedor, que certamente influenciou na minha postura como pessoa. ”

A aceitação e valorização da diversidade, e a forma de mediar as desavenças, também não passaram despercebidas para ela. “Durante minha trajetória na Projeto, pude testemunhar como a escola sempre dava atenção especial a cada um dos alunos, percebendo as diferenças e particularidades de cada um e lidando com isso de maneira muito positiva. Éramos sempre orientados a aceitar as diferenças dos outros, a resolver problemas e conflitos da melhor maneira possível. Acredito que tudo isso tenha influenciado para a postura flexível – de saber ouvir e opinar – que não só eu, como diversas pessoas que estudaram na Projeto junto comigo têm hoje”.

Tem dificuldade em selecionar os momentos mais marcantes de sua vida escolar. “As minhas lembranças são todas muito boas. Lembro da Projeto com muito amor e carinho. É difícil citar as mais marcantes. Tudo foi muito marcante. Pensando aqui para responder essa pergunta, me vieram tantas memórias em mente que fiquei aqui imersa em nostalgia! Guardo com carinho as pessoas – muitos professores, auxiliares, diretores, coordenadores, porteiros, amigos; os lugares – quadra, biblioteca, cantina, salas de aula, salão... As aulas, as festas – junina, halloween, fim de ano, carnaval. As viagens da minha turma para o Rio de Janeiro, Cananéia, cidades históricas de Minas Gerais. As aulas extracurriculares de judô e teclado que eu fiz durante um tempo. Os encontrões depois de ter me formado na escola. Até festa do pijama eu me lembro que tivemos. Nossa, quanta coisa! ”

É assim que a Projeto quer colaborar na formação de seus alunos – fornecendo-lhes os recursos e instrumentos para desenvolverem todo seu potencial. E é assim que quer se inscrever em suas memórias – como um lugar não só de aprendizagens curriculares, mas de experiências de vida.