DIÁLOGOS COM A COMUNIDADE
PARA AVANÇAR NA APRENDIZAGEM

“Não há saber mais ou saber menos:
Há saberes diferentes”.
Paulo Freire


O mito pedagógico de que todos aprendem do mesmo jeito e ritmo foi abalado.

Sabemos que a aprendizagem não se dá pelo acúmulo de informações por parte do aluno e tampouco por um processo de estímulo e resposta em que é valorizada a substituição de respostas erradas por respostas certas. Ao contrário, entendemos que a aprendizagem é um processo de construção realizado pelo aluno e acontece a partir de situações nas quais ele possa agir, pensar sobre o objeto de conhecimento, recebendo ajuda, sendo desafiado a refletir, a estabelecer relações, trocar informações com parceiros mais e menos experientes.

Todos podem aprender. O processo de aprendizagem não é linear, nem conduzido e controlado pelo professor para que todos aprendam da mesma forma e ao mesmo tempo. Cada aluno tem seu ritmo e formas de aprender.

Esta concepção orienta nossa prática, tanto que o compromisso é trabalhar para a construção da cultura do êxito e não do fracasso escolar. Por isso temos um grande desafio: garantir a aprendizagem de todos os alunos, considerando a diversidade de estilos e de tempos para aprender.

Para enfrentar esse desafio, realizamos algumas ações dentro e fora da sala de aula no turno e contraturno, com o propósito de oferecer aos alunos situações de ensino ajustadas às suas necessidades de aprendizagem:

Ações realizadas no período regular de aula

• Apoio permanente dos auxiliares de classe aos alunos que necessitam de um acompanhamento mais individualizado para a realização das atividades.

• Organização de grupos de estudos com alunos de mesma turma (ou de turmas diferentes), orientados pelo professor e/ou auxiliar para a realização de atividades que são planejadas para atender às diferentes necessidades. No EF II, a orientação é dada pelos auxiliares de Língua Portuguesa, Matemática, Inglês e Espanhol.

Ações realizadas no contraturno

• Grupo de Estudos do Apoio Pedagógico: é proposto para os alunos do Ensino Fundamental I que necessitam de acompanhamento mais sistematizado para melhor compreensão de determinados conteúdos de Língua Portuguesa e/ou Matemática. Os grupos de estudo são organizados de acordo com as necessidades dos alunos, observadas durante as aulas e nas atividades avaliativas.

• Plantão de dúvidas em Língua Portuguesa, Matemática e Ciências: os alunos do Ensino Fundamental II são incentivados pelos professores a se inscreverem para solucionarem suas dúvidas. Entendemos que nessa etapa da escolaridade os alunos têm condições de identificar, refletir e buscar apoio para superar suas dificuldades com relação à aprendizagem de alguns conteúdos.

A parceria das famílias é muito importante para o alcance dos objetivos pretendidos com essas ações, valorizando e incentivando os alunos a participarem dos espaços propostos pela escola.


DIÁLOGOS COM A COMUNIDADE

OS MEUS, OS SEUS, OS NOSSOS

O ser humano é social, necessita da interação com o outro para adquirir linguagem, viver em grupo. Conviver foi a garantia de sua sobrevivência. Os conflitos surgem desde sempre como custo do viver junto.

ACHADOS E PERDIDOS

Como é comum em muitos locais públicos, encontramos alguns objetos de uso pessoal dos alunos, esquecidos na escola. Além de potes e peças de uniforme, também nos deparamos com aparelhos ortodônticos e celulares.

APRENDER FORA DA ESCOLA?

Pois é, as coisas estão no mundo, a escola inclusive, e é preciso aprender com elas, a partir delas e sobre elas, estabelecendo um diálogo permanente entre o que está dentro e o que está fora da instituição escolar.

AVANÇAR NA APRENDIZAGEM

Todos podem aprender. O processo de aprendizagem não é linear, nem conduzido e controlado pelo professor para que todos aprendam da mesma forma e ao mesmo tempo. Cada aluno tem seu ritmo e formas de aprender.